Coluna

|Planejando a Carreira - O profissional em foco - Peter Ratcliffe

Coluna

|Planejando a Carreira - O profissional em foco

Veja por autor

O Inglês e a Estratégia Profissional

Devido à sua importância, o aprendizado da segunda língua deve ser um projeto profissional permanente.
whatsapp linkedin
Publicado em 15.02.2009 - Edição 541
          Mesmo com a crescente globalização do ambiente de negócios, muitos profissionais e executivos ainda resistem a adotar o aprendizado da língua inglesa como uma estratégia de carreira. Inventam desculpas, protelam ou subestimam a importância de adquirir fluência em um segundo idioma, mesmo que a necessidade bata, diversas vezes, à sua porta. O fato é que se comunicar em inglês é hoje uma exigência para um grande número de profissionais, especialmente aqueles que ocupam cargos gerenciais e estratégicos. Quem deseja ampliar a fronteira de atuação de sua empresa, fazendo parcerias ou firmando negócios com fornecedores e clientes de outros países, precisa investir no aprendizado do inglês, com todos os desafios que essa tarefa representa.
          Falta de tempo e uma certa “resistência emocional” a voltar à sala de aula são as desculpas mais comuns. Mas elas devem ser enfrentadas racionalmente. Existem diversas alternativas para que o profissional ou executivo incorpore o aprendizado de inglês à sua rotina sem que isso cause nenhuma espécie de transtorno. Quem nunca aprendeu ou está há muito tempo sem praticar pode investir em um programa intensivo individual nos primeiros meses, até adquirir confiança para integrar uma turma regular. Já quem viaja muito ou tem uma jornada excessiva de trabalho pode adotar o sistema de aulas individuais, em horários alternativos ou na própria empresa, evitando a necessidade de deslocamento. É possível, em cada caso, traçar uma estratégia adequada; basta ter vontade e dar o primeiro passo.
          Outro problema muito comum é a falta de continuidade. O aluno inicia um programa de aprendizado, mas o abandona. Ou, após alcançar um determinado nível de fluência, acredita que não precisa mais de acompanhamento. Assim como ocorre nos exercícios físicos, o aprendizado de inglês exige disciplina e regularidade para apresentar resultados. Para garantir a motivação, uma boa dica é sempre estabelecer metas práticas. Quem já está adquirindo fluência pode, por exemplo, fixar como objetivo participar de uma reunião de negócios ou fechar uma venda em inglês, em um prazo de seis meses. Mesmo quem já está em um estágio mais avançado deve sempre definir metas mais elevadas e trabalhar firme para alcançá-las.
          Falar inglês hoje deixou de ser um diferencial para se tornar, de fato, uma necessidade para muitos profissionais e executivos. Essa realidade exige que o aprendizado seja visto como um projeto profissional permanente. Não é uma tarefa fácil. Aprender ou manter a fluência em um segundo idioma exige planejamento, esforço e disciplina.
          Quanto mais cedo esse investimento começar, melhor. Não adianta se preocupar em aprender o idioma apenas quando a necessidade surgir. Incorporar o inglês ao seu planejamento estratégico profissional significa preparar-se para aproveitar todas as oportunidades que podem aparecer com o crescente intercâmbio entre empresas e economias nessa nova escala global. E oportunidades, como diz o ditado, são como cavalos selados. A quem não estiver preparado para montá-los, resta vê-los passar.

Rede Gestão