Coluna

|Gestão de Negócios - Recursos Humanos - Sílvia Gusmão

Coluna

|Gestão de Negócios - Recursos Humanos

Veja por autor

Só Dinheiro Retém Bons Profissionais?

As empresas precisam mostrar claramente que os profissionais podem progredir, dando-lhes oportunidades e propiciando-lhes um clima mais estimulante.
whatsapp linkedin
Publicado em Fri Jan 03 16:58:00 CST 2014 - Edição 796

A retenção de profissionais representa, hoje, um grande desafio para as empresas. Segundo pesquisa do Hay Group, publicada recentemente, a rotatividade deve aumentar ainda mais nos próximos anos, em todo o mundo. A expectativa é que, este ano, o número de desligamentos aumente 7% em relação a 2013, influenciado pelo crescimento econômico global. O estudo levou em consideração estimativas macroeconômicas e opiniões de cerca de 5,5 milhões de funcionários de 450 empresas, de 19 países, incluindo o Brasil. Instala-se, assim, o desafio: como investir no funcionário para que ele deseje continuar na empresa? Será que a retenção se dá apenas por causa de uma boa remuneração?

Segundo a pesquisa, 90% das empresas entrevistadas têm problemas de retenção, mas apenas 7% delas têm um programa para solucioná-los. Para garantir maior retenção de funcionários, é preciso, segundo Roberta Brandi, consultora do Hay Group, ter um bom diagnóstico e identificar as áreas mais críticas para investir tempo e recursos.

A substituição pode ter um custo equivalente ao de 12 a 18 meses de salário do colaborador que deixa a empresa, incluindo os gastos com documentação, consultorias para a contratação e adaptação. No entanto, mais importante é a perda dos investimentos feitos na contratação, nas capacitações e, principalmente, a atuação competente de um bom profissional, cada vez mais difícil de encontrar no mercado de trabalho. Segundo o estudo, leva-se de 3 meses a 1 ano, dependendo da função, para que o novo funcionário dê um retorno sólido, sem falar no risco de uma não adaptação à empresa.

Para evitar essas perdas, é importante que a empresa propicie um ambiente que incentive o colaborador a continuar. A pesquisa ainda apontou que o espaço para ascender é fator importante para a retenção de talentos. Quase metade das pessoas que responderam a pesquisa não tem certeza de que pode alcançar seus objetivos de carreira na empresa em que trabalham, e 43% disseram necessitar de mais apoio dos líderes para se desenvolver. Nesse sentido, dar visibilidade para o colaborador sobre as oportunidades que ele tem dentro da empresa pode ser uma boa alternativa. Os profissionais desejam ficar onde se sintam apoiados para trabalhar de forma inteligente, com autonomia para criar, inovar e desempenhar sua função.

Para reter seus talentos, as empresas precisam mostrar claramente que os profissionais podem progredir, dando-lhes oportunidades e propiciando-lhes um clima mais estimulante, no qual sejam ouvidos e se sintam compreendidos e cuidados. Além, é claro, de não descuidar de uma remuneração alinhada ao mercado e às políticas de remuneração interna.


Rede Gestão