Coluna

|Gestão de Negócios - Recursos Humanos - Kátia Barreto

Coluna

|Gestão de Negócios - Recursos Humanos

Veja por autor

Aprendendo Inglês no Ambiente de Trabalho

Os cursos in company são uma alternativa prática para os profissionais que precisam desenvolver fluência na língua estrangeira.
whatsapp linkedin
Publicado em Sun Feb 07 12:21:00 CST 2010 - Edição 592
          A chegada de investimentos estrangeiros, com a possibilidade de parcerias e novos negócios, tem deixado evidente uma fraqueza competitiva de grande parte dos empresários e executivos pernambucanos. A grande maioria não domina o inglês como segundo idioma, o que funciona como um entrave para os novos negócios. Falta de tempo, resistência a voltar para a sala de aula ou mesmo receio de não conseguir aprender são as justificativas mais comuns para esse problema. Na tentativa de superá-lo, cada vez mais profissionais e empresas estão apostando nos cursos in company, com aulas no ambiente de trabalho. O modelo oferece algumas vantagens em relação aos cursos convencionais, que atuam como estímulo para o aprendizado, ajudando a alcançar resultados positivos.
          Aprender inglês no trabalho traz, de saída, algumas facilidades. Não há necessidade de deslocamento do aluno para a escola nem perda de tempo nesse percurso, o que aumenta significativamente as chances de assiduidade e, consequentemente, de continuidade do curso. Os horários também podem ser definidos da forma mais conveniente para o grupo — antes ou depois do expediente ou em outros horários acordados entre o grupo e a empresa.
          Outra vantagem de formar um grupo fechado é que os conteúdos das aulas podem ser planejados sob medida para atender às necessidades dos profissionais e da empresa, com maior ênfase no vocabulário específico e nos temas de interesse da área. Um projeto que esteja em andamento na empresa, por exemplo, pode e deve ser debatido em sala de aula, tornando o aprendizado mais prático e em sintonia com a realidade do grupo. Nos cursos in company, a vinculação do conteúdo com o trabalho se torna bem mais evidente, gerando mais interesse e motivação. A integração da equipe é outro ganho. O aprendizado em grupo cria vínculos e fortalece laços entre os profissionais, podendo contribuir também para a melhoria do clima de trabalho entre a equipe.
          Porém, formar uma turma de funcionários para aprender inglês na empresa exige alguns cuidados. O primeiro deles é que esse programa de capacitação não pode ser imposto pelo gestor à equipe. É importante que a participação seja voluntária, baseada na percepção de que a fluência no idioma e o conhecimento adquirido vão trazer ganhos tanto para a empresa como para o profissional, que incorpora esse diferencial em seu currículo e o leva com ele para onde for. Também é importante firmar acordos para definir as questões práticas, como o horário e o formato de pagamento da capacitação — se a empresa irá financiar o curso parcial ou totalmente, por exemplo.
          O patrocínio do gestor da empresa, aliás, é fundamental. Ele deve participar ativamente da capacitação, mesmo que não integre o grupo de alunos, acompanhando o programa e ajudando a viabilizar o curso na prática. É importante que haja uma estrutura adequada para a atividade — sala e equipamentos — e que ela esteja sempre disponível nos horários das aulas. O gestor e as equipes devem respeitar essa programação, evitando marcar outras atividades para os profissionais nesses horários.
          Observados esses e outros cuidados, os cursos in company geralmente trazem  resultados mais rápidos e consistentes. Os profissionais adquirem fluência na língua inglesa de forma dirigida e em sintonia com os objetivos estratégicos da organização. O processo de aprendizagem ganha com essa via de mão dupla — a convivência do grupo no ambiente de trabalho facilita o encaminhamento das aulas, e as aulas contribuem com a dinâmica do dia a dia corporativo. Ao investir na capacitação da equipe, a empresa tem também um ganho de imagem. Para quem pretende atuar internacionalmente ou atender clientes estrangeiros, ter a fluência em inglês atrelada à sua marca é um atributo essencial.

Rede Gestão