Coluna

|Gestão de Negócios - Recursos Humanos - Peter Ratcliffe

Coluna

|Gestão de Negócios - Recursos Humanos

Veja por autor

Copa no Brasil Vai Exigir Domínio da Língua Inglesa

Profissionais da área operacional responsáveis pelo atendimento ao turista precisam saber falar e entender o básico para estabelecer a comunicação.
whatsapp linkedin
Publicado em Sun Sep 27 14:50:00 CDT 2009 - Edição 573
          Segundo expectativas da Fifa, a Copa do Mundo de 2014 deve atrair mais de 500 mil turistas para o Brasil, movimentando inúmeros setores da nossa economia, gerando empregos e muitas possibilidades de negócios para as empresas. Um gargalo histórico, entretanto, precisa ser enfrentado para que os brasileiros consigam receber bem os visitantes estrangeiros, oferecendo-lhes uma experiência positiva. Para manter uma comunicação básica com o turista, fator fundamental para um atendimento de qualidade, será necessário saber falar inglês. Seja em lojas, hotéis, bares, restaurantes, farmácias, seja em qualquer outro tipo de comércio ou prestação de serviços, é fundamental que pelo menos parte do staff domine algumas ferramentas básicas da língua inglesa, que permitam estabelecer uma comunicação eficiente com o turista estrangeiro.
          Como uma das sedes da Copa, o Recife deve receber milhares de turistas. Com exceção das poucas horas em que estará nos estádios assistindo aos jogos da primeira fase, essa multidão estará circulando por toda a cidade, consumindo produtos e serviços, frequentando estabelecimentos comerciais, buscando opções de lazer e diversão. Naturalmente, a empresa capacitada para se comunicar com esse turista, oferecendo-lhe um atendimento atencioso e eficaz, terá mais chances de alcançar bons resultados.
          A boa notícia é que é possível capacitar as equipes operacionais, dando-lhes as ferramentas básicas de vocabulário para atendimento na língua inglesa, sem que seja necessário investir em um curso tradicional, longo e, muitas vezes, caro. A alternativa são os cursos instrumentais, capacitações nas quais os funcionários aprendem de forma eficaz o conteúdo básico para falar e compreender as expressões mais utilizadas no atendimento. Dessa forma, um garçom deve dominar o nome dos pratos, os ingredientes, as opções de bebida, de sobremesa. Um vendedor de loja deve saber informar tamanhos, cores, modelos, preços e outras variáveis sempre presentes no atendimento. E assim por diante. A ideia é focar na comunicação oral, capacitando as equipes por meio de simulações de atendimento nas quais elas vão vivenciar as situações mais comuns enfrentadas no contato com o turista estrangeiro, adquirindo fluência para que o atendimento transcorra com naturalidade.
          A capacitação instrumental em inglês, além do benefício óbvio de permitir a comunicação com o turista, também contribui para o aumento da autoestima do funcionário, na medida em que diminui seu medo e constrangimento de atender um cliente sem dominar o idioma dele. Nada pior do que tentar estabelecer uma comunicação por mímica — as chances de oferecer um produto ou serviço em desacordo com o desejo do cliente são grandes, comprometendo todo o esforço em prestar um atendimento de qualidade.
          O treinamento em inglês instrumental é bem mais rápido do que um curso convencional. Mesmo com pouco tempo, os resultados fazem uma grande diferença. O ideal é que, após uma capacitação inicial, haja uma continuidade no processo de aprendizagem, com reciclagens periódicas que vão permitir ao funcionário adquirir maior domínio do conteúdo trabalhado e, consequentemente, maior confiança.

Rede Gestão