Coluna

|Gestão de Negócios - Planejamento

Coluna

|Gestão de Negócios - Planejamento


Veja por autor

Conheça os principais desafios da transformação digital nas empresas

whatsapp linkedin
Publicado em 05.09.2019 -

 A transformação digital ainda é um assunto recente nas empresas. Todavia, seus efeitos são diversos e podem determinar o sucesso ou fracasso nos negócios. Por isso, é preciso ter atenção ao tema. Uma boa questão é: quais os desafios da transformação digital?

 
Sem dúvida, são muitos. A intersecção entre o mundo físico e o digital é um bom exemplo. Também é preciso destacar a substituição do trabalho manual pelo de máquinas, chamado de automação. Esses desafios criam grandes oportunidades e ameaças às companhias.
 
Nos próximos tópicos, nos dedicamos a explicar os principais desafios da transformação digital e como eles podem ser superados dentro da empresa. Continue com a leitura!
 
Novas habilidades na força de trabalho
Muitas das atuais funções vão deixar de existir no futuro ou serão incorporadas por sistemas automatizados. Segundo a consultoria norte-americana McKinsey, mais de 800 milhões postos de trabalho serão substituídos por máquinas, até o ano de 2030.
 
Por outro lado, de acordo com o Fórum Econômico Mundial, cerca de 65% das crianças que estão começando no primário devem trabalhar em empregos que ainda nem existem. Essa forte substituição e renovação da força de trabalho é um desafio gigantesco.
 
Logo, por um lado, os gestores devem reconhecer quais funções serão substituídas ou reforçadas por máquinas. Por outro, devem identificar novas funções que podem otimizar os resultados do negócio. Essa dicotomia demanda atenção dos gestores e líderes de RH.
 
Intersecção entre mundo físico e digital
A relação entre o mundo físico e digital está muito próxima. Óculos de realidade virtual (VR) permitem que consumidores americanos visitem lojas da China como se estivessem dentro do estabelecimento, testem os produtos e efetivem compras, tudo online.
 
Essa intersecção entre físico-digital é um desafio. Hoje, no mínimo, uma empresa bem-sucedida precisa estar na internet para se relacionar com seus clientes. As empresas mais modernas oferecem múltiplos canais de atendimento, estratégia chamada omnichannel.
 
Logo, é improvável se manter apenas no mundo físico e seguir competitivo. O gestor precisa integrar canais online e offline para se relacionar com seus clientes, permitindo que a venda e o pós-venda sejam flexibilizados. Do contrário, pode perder espaço.
 
Automação de atividades-chave
Hoje, várias atividades tradicionais e rotineiras podem ser automatizadas. Para entender melhor, é interessante olhar para a gestão de pessoas. Dados da Deloitte afirmam que 56% dos líderes de RH estão remontando seus processos para aproveitar ferramentas digitais.
 
A triagem de currículos, por exemplo, pode ser feita por meio de sistemas autônomos e previamente configurados. Softwares de entrevista por vídeo, por sua vez, contam com algoritmos para identificar as emoções predominantes nos candidatos à vaga.
 
Esses recursos automatizam trabalhos que antes eram feitos manualmente e que podiam demorar horas ou até dias. Empresas que não contam com tecnologias de ponta e capazes de automatizar seus processos, porém, enfrentam graves ameaças e podem fracassar.
 
Decisões com base em métricas e indicadores
Antes, de certa forma, o mercado era linear e até previsível. Os gestores decidiam com base em experiências passadas e acertavam. No entanto, ainda que errassem, havia espaço para correções e isso não prejudicaria tanto o desempenho do empreendimento.
 
A diferença é que, agora, empresas precisam acertar rápido. Mesmo em um mercado de alta transformação, as decisões dos líderes e equipes devem ser certeiras. Do contrário, demandarão mais tempo e dinheiro para fazer coisas simples, e isso não é producente.
 
Com a transformação digital, o desafio é deixar o “achismo” de lado. Gestores precisam trabalhar com base em métricas e indicadores, isto é, dados que subsidiem uma visão mais holística e acertada. Assim, podem administrar com maior rapidez, segurança e eficácia.
 
Maior senso de urgência
O dia continua com as mesmas 24 horas, mas, na prática, parece passar muito mais rápido. Isso também é reflexo da transformação digital, isto é, do mundo mais conectado e acelerado. Tecnicamente, essa percepção é chamada de “aceleração social do tempo”.
 
À vista disso, os gestores têm o desafio de aproveitar ao máximo o tempo de trabalho. O senso de urgência deve ser aproveitado para que as tarefas importantes sejam concluídas ao fim de cada expediente. Infelizmente, isso nem sempre é o que acontece.
 
Estudos recentes indicam que aproximadamente 39% do expediente de trabalho é perdido — em geral, com atividades triviais e que não geram benefícios ao negócio. Isso resulta em custos elevados e menor produtividade, efeitos incompatíveis com a transformação digital.
 
Administração de cenários emergentes
Observe as tecnologias mais proeminentes de hoje. Bem, muitas delas não existiam há apenas 10 anos — por exemplo, o WhatsApp, Google Android e o iPad. Algumas das principais redes sociais, como o Instagram, também ainda não tinham ganhado vida.
 
De uma forma ou de outra, essas tecnologias despontaram e ajudaram a moldar o mundo como é visto hoje. Da mesma forma, é impossível prever quais tecnologias vão surgir nos próximos anos. Entretanto, o gestor precisa aprender a lidar com esse cenário emergente.
 
Nesse caso, o desafio da transformação digital é a flexibilidade necessária para lidar com novos cenários. Não adianta apostar em fórmulas passadas, muito menos se apegar ao status quo das coisas. É preciso ser flexível. Aprender, desaprender e aprender novamente.
 
Integração de sistemas de ponta
Os sistemas de gestão podem ser vistos como a espinha dorsal da empresa, pois interagem com uma grande quantidade de outras tecnologias e facilitam o avanço da transição digital. No entanto, várias empresas ainda contam com controles manuais, pouco confiáveis e obsoletos.
 
Enfim, são muitos os desafios da transformação digital. A substituição da força de trabalho, a integração entre mundo físico-digital, a automação das rotinas e a emersão de novos cenários competitivos são alguns dos principais exemplos. Para enfrentá-los, é preciso investir em tecnologias de ponta, inovação e gente com vontade de vencer.
 
E ai, o que achou deste artigo? Compreendeu os desafios da transformação digital? Então aproveite e compartilhe este conteúdo em suas redes sociais.



Rede Gestão