Coluna

|Gestão de Negócios - Planejamento - Fernando Braga

Coluna

|Gestão de Negócios - Planejamento

Veja por autor

Projeto Empresarial: Foco e Flexibilidade

Para minimizar os riscos e ampliar as chances de sucesso, é preciso traçar um plano detalhado, mapeando aspectos diversos do negócio, sem esquecer a flexibilidade.
whatsapp linkedin
Publicado em Sun Mar 31 17:47:00 CDT 2013 - Edição 756
O mercado pernambucano está cada vez mais aquecido, elevando o nível de renda dos profissionais e trazendo muitas oportunidades para os empresários e empreendedores. Contudo, esse dinamismo do ambiente de negócios vem acompanhado de uma concorrência crescente e, como as batalhas do mercado são cada vez menos vencidas apenas por produtos/serviços diferenciados e mais pela gestão empresarial, uma ferramenta faz-se necessária para competir pelo futuro: o projeto empresarial. A título de exemplo, são listados abaixo alguns conteúdos que parecem indispensáveis à montagem desse projeto.
 
Em primeiro lugar, deve-se pensar e compartilhar com as pessoas que fazem o negócio a sua razão de ser e sua essencialidade para a sociedade e o mercado. Depois, listar os produtos e serviços que podem ser oferecidos e os concorrentes diretos e indiretos (que oferecem produtos/serviços similares ou substitutos). 
 
É importante também mapear os diferenciais, as marcas desejadas para a empresa e os parceiros e fornecedores e pactuar as diretrizes básicas para o funcionamento do negócio e para o atendimento, incluindo regras para retiradas e remuneração, política de provisionamento para despesas futuras e investimentos e padrões para enquadramento da equipe. Orçamento e avaliação do potencial de mercado são ferramentas tradicionais que podem ter bastante utilidade.
 
Também vale a pena investir na pactuação de alguns acordos preliminares para o funcionamento da sociedade, fazendo o levantamento de expectativas e preocupações dos sócios e se antecipando a problemas que possam vir a surgir no futuro. 
 
Definido o que poderia ser considerado o básico do projeto empresarial, é essencial pensar na estratégia para o futuro da organização, projetando uma visão de médio e longo prazos, fazendo avaliações dos possíveis cenários, da concorrência e da própria empresa, mapeando os principais propulsores a serem potencializados e restritores que serão enfrentados num determinado período de tempo para o alcance da visão. 
 
Feito isso, é hora de construir o desafio da empresa para o ano, tendo em vista a visão de médio e longo prazos (como se fosse um degrau em sua direção), e definir as prioridades estratégicas os indicadores de desempenho para essas prioridades e as metas a serem atingidas.
 
Depois desse necessário esforço intelectual, ainda há o que fazer. A prática mostra que ajuda muito para o empreendimento dar certo a monitoração sistemática e disciplinada da estratégia, das finanças e do macroambiente concorrencial, possibilitando a antecipação de dificuldades e oportunidades, acelerando o processo decisório e viabilizando mudanças em tempo real para responder às transformações do mercado, conferindo flexibilidade ao que foi planejado.
 
É muito importante nesse monitoramento que a empresa mantenha o foco e seja coerente com suas diretrizes e orientações estratégicas, especialmente em seus primeiros anos de vida, quando tem menos estrutura para abarcar mais prioridades e frentes no mercado. Também a flexibilidade para se adaptar a mudanças no ambiente de negócios é imprescindível. Afinal, como diz a frase atribuída ao escritor romano Públio Siro: “O plano que não pode ser mudado não presta”.
 

Rede Gestão