Coluna

|Gestão de Negócios - Planejamento - Ricardo de Almeida

Coluna

|Gestão de Negócios - Planejamento

Veja por autor

Por uma Capacitação Focada na Competitividade

whatsapp linkedin
Publicado em Sun May 22 11:39:00 CDT 2005 - Edição 347
A principal característica do mundo contemporâneo são as mudanças, cada vez mais velozes e profundas, em todos os setores da sociedade. No campo do conhecimento, essa realidade é ainda mais evidente. O desenvolvimento tecnológico, a globalização e a democratização das informações — levada ao extremo com o surgimento da Internet — provocaram uma verdadeira revolução nas relações pessoais e profissionais, transformando o conhecimento em moeda forte. Se há um entendimento comum nesse ambiente em permanente mutação, é a certeza de que apenas profissionais e equipes preparadas, capacitadas e atualizadas são capazes de responder com eficiência às exigências e aos desafios desse novo cenário. Em vez de máquinas e capital, o conhecimento torna-se o pilar da nova era.

Cuidar de seu conhecimento é uma atitude essencial para o profissional preocupado com sua empregabilidade. Foi-se o tempo em que apenas o diploma de curso superior ou mesmo especializações complementares eram suficientes para manter o profissional sintonizado com as necessidades do mercado. No cenário atual, quem quiser se manter competitivo precisa se reciclar e estar permanentemente atualizado. O profissional deve ter consciência de que seu principal ativo é ele mesmo — seu conhecimento, suas experiências e qualificações.

Mas essa exigência não deve ser apenas uma preocupação do profissional. Gerentes e empresas também devem ter o compromisso de garantir a atualização permanente de suas equipes, investindo em capacitação. É essa complementaridade que vai assegurar a competitividade de todos os elos da cadeia: profissionais, equipes e empresas qualificados e preparados para responder às demandas de um mercado cada vez mais exigente e desafiador.

Uma capacitação eficiente deve resultar em equipes mais ajustadas às exigências competitivas, mais comprometidas com a organização e com seus resultados, produzindo com qualidade crescente. E, para o profissional, deve trazer, como resultados, mais engajamento e valorização do seu lugar na empresa.

Mas como escolher o sistema de capacitação mais adequado, entre tantos modelos e propostas diferentes? O primeiro passo é procurar identificar, com clareza, qual é a real necessidade do profissional e da empresa. É importante separar o joio do trigo, planejando e evitando os modismos que, freqüentemente, assolam o ambiente empresarial.

É preciso estar atento, também, para evitar cair em armadilhas que já se mostraram danosas no passado. Durante muito tempo, os programas de capacitação consistiam, basicamente, em um conjunto de atividades com o objetivo de aprofundar a especialização ou superar as dificuldades localizadas de um profissional ou da equipe por meio de treinamentos isolados e pontuais.

Essa tendência está em franco declínio nas empresas e organizações mais competitivas. Em seu lugar, hoje são adotados programas de capacitação com duas marcas essenciais — a ampliação das competências e a educação continuada e em serviço.

Essa nova visão da capacitação, orientada para práticas empresariais específicas, é essencial para as empresas que procuram gerenciar seus próprios programas de capacitação de uma maneira mais vinculada à realidade dos negócios. Não se pode esquecer que o foco de todo processo de capacitação deve ser a realidade de cada empresa — o atendimento a suas necessidades, seus processos e negócios específicos. Uma demanda que os programas generalistas de treinamento estão longe de responder com eficiência.

A capacitação deve ser tratada pelas empresas e pelos profissionais como um investimento a ser feito de modo permanente. O profissional estratégico precisa ter visão de longo prazo e pensar nos ganhos profissionais, intelectuais e financeiros que uma boa capacitação pode proporcionar. Para as empresas, assegura a possibilidade de se desenvolverem a partir do aperfeiçoamento dos seus profissionais e de se manterem competitivas. Por essa razão, a capacitação não deve ser vista como um "custo" e sim como um investimento que trará lucros, qualificação e um poderoso diferencial num mercado cada vez mais exigente e competitivo.

Rede Gestão