Coluna

|Gestão de Negócios - Organizando a empresa

Coluna

|Gestão de Negócios - Organizando a empresa

Veja por autor

Arquitetura Paisagística nas Empresas

Intervenções nas áreas comuns podem melhorar o ambiente de trabalho, contribuindo para o bem-estar e a saúde da equipe.
whatsapp linkedin
Publicado em Sun Feb 20 13:44:00 CST 2011 - Edição 646

          O paisagismo normalmente é associado a jardins residenciais, praças e parques públicos. No entanto, é no ambiente corporativo que as pessoas passam a maior parte do tempo nos dias de semana, e, nesses casos, a disponibilidade de um espaço com tratamento paisagístico ao ar livre se torna um diferencial para o bem-estar e a saúde dos funcionários.
          A ida cotidiana ao local de trabalho pode ser uma experiência positiva ou negativa para as pessoas, dependendo de vários fatores externos que geram estresse, como trânsito, correria e barulho. A intervenção paisagística pode contribuir, na chegada ao local de trabalho, para uma sensação de serenidade, por meio, por exemplo, do uso da água, da vegetação e de um ambiente aconchegante.
          Durante o expediente de trabalho, é importante que os empregados disponham de um jardim bem tratado, do qual possam usufruir não somente visualmente, mas também espacialmente, nas horas de intervalo do almoço ou durante o cafezinho. No caso de áreas externas maiores, é viável a implantação de locais para reuniões informais, que podem ser  abrigadas em gazebos, quebrando assim a rotina de trabalho, longe do ambiente refrigerado.
          Espaços de convivência para os funcionários, com mobiliário confortável para descanso em áreas sombreadas e ventiladas, propiciam momentos ao ar livre, relaxamento e interação com colegas. Espelhos-d’água contribuem para a sensação de serenidade, além de servirem de suporte para plantas aquáticas e peixes ornamentais que se alimentam das larvas dos mosquitos, servindo também como forma de combate à dengue.
          Várias possibilidades podem ser exploradas nos jardins, que devem ser o mais sustentável possível, com algumas características: (1) uso de vegetação para controle de radiação solar, temperatura, umidade do ar, ação dos ventos e da chuva e amenização da poluição do ar; (2) vegetação frutífera de suporte à avifauna e a pequenos animais silvestres; (3) criação de microclima urbano decorrente de agrupamentos arbóreos, com temperatura de 3°C a 4°C menor que nas áreas expostas à radiação solar; (4) sistema de drenagem natural através da modelagem da topografia do terreno para retenção de águas pluviais e infiltração no lençol freático, sem sobrecarregar a drenagem das vias públicas; (5) utilização de águas servidas do sistema de refrigeração para irrigação da vegetação; (6) implantação de compostagem para acolher folhas secas e frutos caídos e consequente transformação em adubo natural; e (7) baixa manutenção, iluminação eficiente, minimização da necessidade de áreas irrigadas e materiais com resistência e durabilidade.
          A introdução de obras de arte, principalmente esculturas, painéis e artesanatos, se torna importante atrativo visual, ao mesmo tempo que expressa a valorização da cultura pela empresa. Um bom projeto de urbanização e paisagismo prevê, ainda, a configuração e hierarquia das vias de carros, caminhões e ônibus, passeios de pedestre, assim como acessibilidade e ciclovia, levando em conta os raios de manobra, o dimensionamento de estacionamento e fluxos.
          Mais do que os benefícios diretos, uma intervenção paisagística de qualidade tem reflexo, também, na percepção dos clientes e visitantes, contribuindo para a construção de uma imagem positiva da empresa e também para a fidelidade dos funcionários.
 


Rede Gestão